sexta-feira, 8 de janeiro de 2016

Preconceito e Pré-conceito

O preconceito faz parte de nossa natureza. Nossa evolução biológica nos ensinou a temer e desconfiar do diferente, do estranho ao nosso cotidiano. Todos temos isso, fingir que isso não existe e tão inútil quanto estúpido.
O que não significa que devamos dar vazão a essas emoções. A grande diferença entre nós e os outros animais é nossa razão, nova consciência, a capacidade que temos de sobrepujar nossos instintos em favor da civilidade.
Mais de uma vez eu atravessei a rua a noite quando um "negro mal encarado" vinha na minha direção. Hoje me envergonho disso, e atravesso a rua para qualquer indivíduo "mal encarado", independente de sua etnia. Seria isso preconceito contra os mal encarados? Talvez.
Mas por que agimos assim? Existe uma maneira de mudarmos essas sensações instintivas? Sim existe. Como disse essas reações vem de nossa programação biológica para desconfiar do que é diferente. Para que não reajamos dessa maneira, temos de nos expor a pessoas diferentes, de cor diferente, de religião deferente, de sexualidade diferente, até que passemos a sentir que essas pessoas fazem parte de nossa realidade. Porque elas fazem!
Esse é o principal motivo para eu ficar furioso quando "Bolsomitos" da vida defendem que nossas crianças sejam "protegidas" do homossexualismo. Sim, que ideia "brilhante". Sem comentar os problemas que isso criaria na cabeça de um futuro adolescente homossexual, essa postura só contribuiria para o reforço do preconceito, porque os homossexuais não vão deixar de existir e, mais sedo ou mais tarde, nossas crianças vão se deparar com um. Não seria melhor ensinarmos elas que isso é algo normal?
Não consigo imaginar alguém defendendo que nossas crianças sejam "protegidas" da exposição a outras raças. Mas sei que isso existe, só não é um discurso tão popular, assim como o discurso de que essa ou aquela religião é uma agressão a minha religião. 
Apenas conservadores ignorantes mantém discursos veladamente segregacionistas as raças, alguns nem tão velados assim eu sei, mas isso porque já ficou universalmente implícito que racismo é feio. Estamos longe, é claro, de vencer essa luta, mas muitas conquistas foram feitas. Em outros tipos de preconceito, como no caso dos homossexuais, essa luta está muito mais atrasada e precisa ser intensificada.
Temos de manter a vigilância e lutar diariamente contra nossos preconceitos, a fim de não passá-los para as próximas gerações, e combater toda e qualquer figura pública que pregue o contrário. Esse deve ser o compromisso de cada um, todos os dias.

Nenhum comentário:

Postar um comentário